Segunda-feira, Junho 02, 2008

 

[P#118] INTERNET YEARS (Parte 9)

|


Campanha do Referendo do Desarmamento

Yeah,
por mais que eu não tocasse nesse assunto, esse foi um tema que tocou mesmo a vida pública brasileira com direito a palpites por parte de artistas, músicos, políticos e intelectuais.
Um referendo.
A principal diferença entre um referendo e um pleibiscito é que no Referendo se toma uma decisão referente a uma norma ou artigo dentro de uma lei depois da mesma já estar formulada e no pleibiscito o voto ocorre antes dessa norma ou artigo estar constando dentro da lei ou estatuto a que se refere.

No caso do Referendo sobre a Proibição ou não da comercialização das armas de fogo, estava em pauta a vigoração ou não do artigo 35 do Estatuto do Desarmamento de 2003, que previa a proibição da venda de armas de fogo no Brasil salvo algumas excessões.
O Estatuto de 2003 por si só já tinha algumas restrições quanto às medidas a serem tomadas para se tirar porte de armas, (acima de 25 anos) e se submeter a um registro que lhe abona ou não se passares num teste classificatório como sendo ou não de um determinado grupo de risco.

Me decepcionou perceber que uma das que eu tinha maior consideração não só como profissional, mas tb como pessoa, e na posição dela de formadora de opinião, (óbvio que eu acredito que esse negócio de "formador de opinião" só serve pra quem é alienado e pensa com a cabeça dos outros, ou seja é um acéfalo por opção, ou na pior das hipóteses não teve acesso aos níveis mais básicos de instrução e educação)se declarasse a favor de uma proibição.
Proibir por si só, ao meu ver já é um ato de censura, ainda mais que era a proibição de um direito do cidadão escolher se quer ou não comprar uma arma.
Armas não matam pessoas.
Pessoas matam pessoas.
Apesar do falso apelo à população para se votar a favor ou contra a comercialização de armas, tinha sim uma campanha da Rede Globo e de grande parte da Mídia manipulando a favor da proibição, ou seja, isso remete a uma atitude ditatorial pra forçar uma barra em plenos anos de democracia.

A revista Veja manipulou pro seu lado, se mostrando contrária a proibição.
Mas como tudo que faz é minimamente calculado a capa trazia uma ilustração ridícula ridicularizando aquele sinal da pomba da paz feita com as mãos por um cidadão cercado de armas. Ou seja a mensagem estava muito clara.

A questão é que a proibição do direito de comprar ou não uma arma não diminuiria em nada a violência no País. Uma faca, uma garrafa ou qualquer outro instrumento pode servir de arma. Violência sempre vai existir, até porque somos um país de terceiro mundo que ainda vive em eternas contradições e em meio a problemas não resolvidos. Proibir o cidadão de bem de se armar só aumentaria a segurança da bandidagem em geral, porque esses sim não compram armas legalizadas e tampouco tem o porte das mesmas, eles conseguem arma no tráfico. Acabe-se com o tráfico de armas e aí sim tu vais ter uma redução da violência. Agora vir com uma demagogia sentimentalóide de que a criminalidade aumenta porque se tem uma arma em casa, não rola. Desculpa mas é um argumento muito fraco. Tentem um melhor da próxima.

Apesar de ter ajudado a eleger Lula em 2002 e reelege-lo em 2006, nunca fui a favor da campanha do SIM empenhada pelo Governo com tanto orgulho com apoio de grande parte da Mídia e dos artistas como Chico Buarque de Hollanda por exemplo. Pessoas que servem de modelo aos cidadãos comuns deveriam pensar duas vezes antes de se expor em público a respeito de questões tão polêmicas. Queima o filme legal.

Bom, fora isso e retornando, mas ainda ligado ao tema, acho que foi isso também que me fez bloquear a Tamiris no msn. (Desculpa amiga, tu nunca soubes disso e ficar sabendo assim é a pior maneira, mas foi a ÚNICA vez que te bloqueei na vida, e na verdade eu nem te conhecia direito)Mas acho ridículo o que eu fiz, de coração.
Bloquear uma pessoa porque ela tem uma opinião diferente da sua quanto a qualquer tema, sendo que eu na época já havia passado dos 20 anos e era pra ser uma pessoa "adulta", é muita infantilidade. Eu concordo com o Lobão quando ele argumenta que
dizer:
"Eu discordo, não concordo contigo" é uma prova de amor.
É mostrar que não é cínico a ponto de concordar só pra ficar de bem com uma pessoa e ter personalidade, ter firmeza de atitude e de posição.

Voltando e explicando a situação;
acho que dei uma informação errônea em posts anteriores, quando disse que no começo eu não falava todos os dias com a Tami.
Eu fui equivocado.
Segundo vi no histórico do msn ontem, nos dias 19,20,21,22,23,24,25 de Agosto nós nos falamos sim.
Fizémos uma pausa (não sei o motivo)
e voltamos a nos falar dia 31 de Agosto daquele ano.
Nisso, e continuando o que eu dizia no post anterior, eu percebi que aos poucos minha relação com o baixista ruía a cada dia.
Ele estava sendo muito 'seco' com ela.
Ela falava com ele e o máximo (segundo o que ela me diz pelo que li nesse histórico)
que ele fez foi responder um "oi".
Realmente ele tinha preconceito com pessoas mais novas porque tava com terceiras intenções com quem fosse ser a possível cantora da banda.

Foi inevitável excluí-lo da minha vida. Por mais que eu tenha defeitos, até aquele momento, eu era uma pessoa de mais visão que ele e não pude mais suportar aquele tipo de situação.
Já aquela época eu conseguia, por mais que menos do que hoje, respeitar as diferenças.
Não respeitar as diferenças é um dos sustentáculos do preconceito.
Uma coisa é não gostar, a outra é não ter respeito e descer o nível.

Depois, segundo consta aqui, falamos em sequência nos dias: 1º de Setembro e dia 02. Seguindo então a conclusão de que dia 31(de Agosto), dia 01 e dia 02 falamos em sequência. Houve uma pausa e voltamos a nos falar dia 12 do mesmo mês.
Depois, só no dia 17.
Eu to tentando achar aqui, pra ter valor documental.
Afinal, estou falando aqui sobre fatos relevantes que ocorreram comigo aquele ano então, acho bom ter fotos referentes à época, e coisas para mostrar.

Bom achei aqui. Se marcar acho que nem sei se a postura da Tami era mesmo a favor do desarmamento porque o nick dela põe em dúvida qq certeza minha atual quanto a isso. Mas que se foda, de qq forma, eu achei que ela tava querendo mudar o que eu pensava a esse respeito (e acho que na verdade isso foi um grande equívoco da minha parte tb, mas por outro lado já era)e fiquei de cara e bloqueei ela. Acho que bloqueei depois dessa conversa aqui:
(só um pequeno trecho)


MSN TALK (04/10/2005); Tami logada como: "(f)Tami(8)vote 2????" e eu como:
"Ouvindo Khaled"

(f)Tami(8)vote 2???? diz:
Pitty na propaganda do vote 2,viu?o.Ô
Ouvindo Khaled diz:
Não. Passou onde?
(f)Tami(8)vote 2???? diz:
na tv

huiahuiahuahuia
nao na propaganda
mas é akeles horarios reservados
dai aparece varias pessoas falando 'vote sim'.

Ouvindo Khaled diz:
ah sei...
então a noite quando to no computador
eu não consigo me
concentrar se ligar a tv e ficar no pc ao mesmo tempo
é muito estranho.

(f)Tami(8)vote 2????diz:
hehehehe
credo, como a tv manipula pra votarem sim
a propaganda do sim mostra um monte de coisa e a do nao só ataca

Ouvindo Khaled diz:
é.. pois é ... desculpe a demora aqui é que hoje é um dia que tem muitas janelas
mas vou respondendo na medida do possível
:p

(f)Tami(8)vote 2???? diz:
hehehehe
Ouvindo Khaled diz:
ae agora sim.
pois é eu já tinha ouvido falar que a Pitty aparecia no comercial
mas não cheguei a ver ainda.
Ela ta de preto nesse comercial ou não?
rs

(f)Tami(8)vote 2???? diz:
sei la
só aparece o rosto
no comercial mesmo q passa durante a programaçao eu nao vi ainda
só aquela hora...foi muito rapido


(...)

Bom sei lá, não lembro se foi por isso.
Mas se tiver sido foi um equívoco mesmo.
Ela nem falou posição dela a respeito do assunto nem nada.
Provavelmente eu interpretei errado e fiquei sacudo depois dessa conversa.
Creio que tenha sido essa conversa mesmo porque ela data de 04/10/2005
e depois dessa data só tem conversa nossa no histórico a partir do dia 11/10/2005.
Embora, eu vá pesquisar mais pra ter certeza se é mesmo isso.
Talvez tenha sido depois dessa que bloqueei ela porque eu lembro que não foi por um tempo tãooooo grande assim que ela ficou bloqueada. Mas se tiver um hiato de tempo maior que esse
é de se desconfiar que seja da época do bloqueio.
O pior de tudo é que minha opinião foi a mais superficial e subjetiva, tipo curiosidade inútil:
"Ela tava de preto?" e daí se tava de preto ou não? Esse não foi o fator que influenciou a Pitty optar por votar 2.

Entre outras coisas relevantes que aconteceram aquele ano fora a minha amizade com a Tami, que eu vinha conhecendo melhor a cada madrugada que passava, muito embora eu ainda não a tivesse visto pessoalmente, é que houve um problema com o Dinarte e o pai dele, com problemas de bebida tacou fogo na casa e queimou, segundo o que ele me estimou na época, cerca de 4.000 reais.
Aconselhado por minha vó, resolvi doar minha guitarra Lyon Stratocaster, a Michael com microafinação e mais um violão que eu tinha desde meados de 1999 pra que ele , com isso, conseguisse uma graninha.
Senão me engano, ele vendeu a Lyon e o violão e remontou a Michael que tava estragada, colocando peças alternativas que ele tinha encontrado pra substituir as peças originais.

Paralelo a isso, e no segundo semestre do ano eu recebi ligações da Monique Trinco, antiga amiga de curso pra ir cursar com ela na F.E.P algo relacionado a informática. Ela me informou a data e perguntou se eu não tinha interesse em cursar. Acenei afirmativamente e então ela me pediu que um dia antes da matrícula eu ligasse pra ela.

Nesse meio tempo, eu fiz um curso na F.E.P de Photoshop e Corel Draw chamado "Curso de Editoração Eletrônica" com a já conhecida quantia módica de 10 reais de inscrição. O curso confesso foi bem chatinho, passar 2 horas na frente do pc, fora as horas que eu já passava em casa, principalmente à noite e de madrugada não devem ter me feito muito bem.

Passada essa fase, eu liguei pra ela pois se aproximava a data e informei da matrícula. Eu havia conseguido me matricular adiantadamente em relação a ela, porque eles dispunham mais vagas pra quem ja estava cursando na F.E.P. Coloquei o nome dela na lista pra ela não ter que pegar uma fila gigantesca de manhã atrás da vaga do curso. No entanto, um gordo babaca e filho da puta escroto do caralho (que light), e velho, que cuidava da parte administrativa achou que era um golpe baixo e não deixou ela se matricular antes pra evitar fila. Isso me deixou muito, mas muito frustrado.

Eu tinha marcado de encontrar com a Monique Trinco na porta da F.E.P mais ou menos cinco da tarde pra ela se matricular, mas quando eu cheguei ela já estava lá na porta do curso com uma cara apreensiva, e dizendo que o cara da administração não havia deixado. Me senti mal porque meus esforços haviam sido em vão, mas ela percebeu que eu não tinha culpa e até chegou a me dizer isso, se eu não me engano. Mas foi uma derrota do mesmo jeito.

Então, liguei pra ela no mesmo dia e falei que quando abrissem as vagas pras pessoas que estivessem de fora eu iria lá com ela pra ajudar a conseguir a vaga. Ocorreu que teve então uma madrugada que eu acordei umas 4:30h da manhã e fiquei esperando ônibus na rua. Demorou muito tempo até aparecer um. Acho que já eram quase umas seis da manhã quando pude tomar o primeiro. Depois, o tempo que eu demoraria a pé pra chegar até o local.

Cheguei lá e tava frio. 2005 foi um dos anos que lembro que o sol menos apareceu, vários e vários meses a cidade se tornou cinzenta. Enfim, tava muito frio, e já tinha uma fila grande no local. Me penalizei por não ter chegado mais cedo e se não me engano tentei pegar 2 papéis que foram distribuidos na fila com vagas pro mesmo curso, mas , como não tenho certeza absoluta disso, não vou afirmar. As horas passaram. Quando deviam ser umas oito horas da manhã, eu pedi pra guardarem meu lugar na fila pra que eu pudesse verificar uma coisa. Vi então a Monique no meio da quadra (a fila dobrava a quadra) e falei com ela, chamei a pra se adiantar na fila mas ela não quis. Nunca entendi se ela não quis pra ser de certa forma "honesta" ou porque não entendeu que eu tava na fila horas antes que ela.

Continuo no próximo post.

Domingo, Junho 01, 2008

 

[P#117] INTERNET YEARS (Parte VIII)

|

Primeiro post da minha biografia em Março de 2005

Pois é, como não?
Tinha esquecido. Foi o ano que tive a idéia de passar minha biografia escrita pra biografia virtual incluindo todos os detalhes que não couberam na original e também, adicionar outras coisas que eu havia esquecido antes.A princípio pensei que "Vida de Guitarrista" seria o meu blog principal, mas no final, todos que leram acharam a história da minha vida mais importante que os posts culturais que eu fazia lá.
Foi o ano tb da criação do blog "Resenha Gamers" que depois teria muito material aproveitado pra se criar o blog "Game World" (2007).

O Resenha Gamers era um blog com um grande diretório de jogos pra se pesquisar, duas páginas construídas para criar o aspecto de uma só. Resenhas de bom nível, sobre jogos de todas as épocas foram escritas por mim, com minha assinatura e com o pseudônimo do fake Papai Moscou. O pessoal do Baú de Jogos descobriu o blog e quis criticá-lo, porém, eu sempre digo, a inveja do invencionismo e criatividade é uma merda.

Depois então é que veio a idéia de passar a minha biografia pro mundo virtual.
Depois de eu ler alguns comentários dizendo que eu devia "falar mais sobre você", resolvi então realmente falar mais sobre mim, só que desde o começo, já que sempre tive boa memória e lembro de grande parte da minha trajetória.

Como falei, nesse ano eu iniciei-me no inglês da Wizard. Fiz um teste de nivelamento e me colocaram no nível 2 do curso. A turma era pequena, mas o professor falava rápido pois a metodologia dele empregava a fluência como um dos principais pilares educacionais. O professor era meio irresponsável também acima de tudo, tanto que terminamos o semestre em Dezembro sem ter terminado o livro de inglês, porque ele acabou não conseguindo vencer o livro nas aulas apesar de serem, na época, quase 2 horas de aula por dia.

Enquanto eu procurava montar uma banda de covers da Pitty, o baixista foi me dando uma idéia que queria uma vocalista gostosona e tb uma baterista. Cada um comeria uma. Fiquei puto porque minha idéia era séria, centrada, musical e o cara me vinha com pornografia fora do contexto. Não que talvez, no futuro, com um bom relacionamento com elas, se essas fossem o suficientes safadas pra topar uma coisa dessas não pudesse rolar de bom grado, o problema é a falta de seriedade com o assunto. Eu queria músicos profissionais ou pelo menos que levassem a sério. Era como tentar montar uma ONG enchendo a cara. Nunca daria certo.

A primeira medida que a gente teria de tomar seria afastar a gorda medrosa, e dizer que não queríamos fazer o projeto com ela, porém, isso nem foi preciso ela pediu pra sair antes porque queria se dedicar a fazer um vocal a la Evanescence porque segundo ela, a voz não aguentava cantar algumas músicas que puxavam muito. Nunca consegui fazer uma audição com essa menina pra saber se ela cantava agudo, porém a voz da Pitty (ainda bem) não é das mais agudas. Se tivesse de trocar o tom da música por causa dela eu ia achar um verdadeiro saco.

Depois o baixista disse a mim, em privado, por msn, que não queria pirralhas na banda, quando eu contei da idade da mesma (descobri a idade depois de conversar com ela) - na época a Tami contava com 14.Então por ele, excluía a Tami de qq possibilidade de vir a tocar com a gente. Eu não gostei disso porque a primeira conversa que tive com ela eu tive uma boa impressão sobre a pessoa dela. Me deixou meio fudido aquela arrogância dele, pois o projeto era meu e ele estava se associando de forma um tanto quanto folgada querendo administrar as decisões que eu tomava sem perguntar a minha opinião a respeito disso.

Eis alguns trechos da linda conversa (extraído do histórico de 2005 que eu tenho salvo num CD-R até hj) :


(04/09/2005) MSN TALK

Punkxan diz:
como anda a banda?
Ricardo [Pensou que tava executando o solo de "Sweet Child O'Mine" do Guns'n'Roses, mas quando viu tava executando os arpejos de "Baba Baby" da Kelly Key] diz:
só procurando pessoas para integrar.
a Juliana Weedo passou o telefone dela, anotei numa agenda.
Ainda não liguei, o tel é (...)
tenho que ligar pra fazer um contato imediato de 3º grau com ela.
Punkxan diz:
aheauheuae.
ela tem msn? orkut?
temos que arrumar uma gostosa.
haheauehauae.
e que tenha o espirito da pitty.

Ricardo [Pensou que tava executando o solo de "Sweet Child O'Mine" do Guns'n'Roses, mas quando viu tava executando os arpejos de "Baba Baby" da Kelly Key] diz:
sim,
sim, pois é.
eu não sei, ela me deu o tel.
porque disse que não fica muito na net.
foi o que ela me disse, mas tenho a impressão de que deva ser loira.
vou ligar pra saber, dai pergunto se tem orkut, essas coisas...


<<>>
(20/09/2005) MSN TALK

(...)
Ricardo [O Orkut ta em manutenção sempre, mas nunca pára de dar "Bad Server", que bosta] diz:
Eu pirava numa vocalista, que assim...
fosse uma ruiva peituda, usasse uns decotões nervosos,
umas botas... sei lá... um esquema assim...

Punkxan diz:
ta mas quem ia comer a vocalista sou eu.
Ricardo [O Orkut ta em manutenção sempre, mas nunca pára de dar "Bad Server", que bosta] diz:
Huahauahaau... na real ... eu to procurando tbm baterista que é uma raça meio díficil . Mas as vezes tu encontra bons.
Punkxan diz:
dai tu come a baterista.
(...)

Enfim, esse foi o resumo do resumo do resumo.
Ele não tava a fim que a Tami tocasse com a gente por causa da idade dela. Ele queria uma garota com idade mais avançada pra que a gente pudesse traçar.


Porém, com o tempo, a Tami -que inicialmente talvez fosse só pra fazer uma audição musical- acabou tornando-se minha amiga. Nossa amizade se tornaria grande, mas eu, ainda nem sonhava, nem sabia, porque tb, eu nem conhecia ela. Lembro que um tempo depois, bloqueei o baixista no meu msn e o excluí e fiz o mesmo quanto ao seu orkut.

A minha amizade com a Tami demoraria um pouco pra "florescer" digamos assim, por completo.
Não era todos os dias que eu falava com ela, porque, antes de mais nada eu tava com esse projeto na cabeça.
Eu conheci ela dia 19/08/2005, era madrugada de Quinta pra Sexta, e no dia seguinte eu teria de acordar cedo pra ir procurar emprego (exigência do meu pai, dessa vez imposta com mais visceral que no ano anterior)a partir das 07:00h da manhã. Fiquei com ela até às 04:11 da madrugada trocando idéia. Fiquei, como já disse antes, com uma boa impressão da pessoa dela.

Quando eu analiso a primeira conversa com ela, vejo que ela me deu muitas informações, mas que como era coisa de quem ainda não se conhecia, muita coisa passou batido, e depois eu vi na prática que muito tempo depois, relendo a nossa primeira conversa, que muitas coisas que eu sabia sobre ela, ela já tinha me contado naquela conversa.

Um exemplo era sobre onde ela morava, e o outro, sobre uma amiga dela que mora aqui perto e que ela havia visitado, quando eu falei a ela sobre o endereço de minha residência.
Eu não sabia, mas ela tava falando de outra pessoa que mais tarde se tornaria tb uma amiga e tanto: a Heloísa!

Me falou um monte de coisas sobre a Pitty e o segundo disco dela (Anacrônico), sobre as faixas, sobre a voz, e que dava pra levar. Fiz uma pergunta muito indiscreta pra ela, ainda mais pra se fazer numa primeira conversa e ela não ficou chateada comigo nem nada, e os curiosos e losers de plantão vão ficar sonhando que eu vou revelar que pergunta foi e acabarão por na expectativa ficar.

Essa conversa teve alguns momentos clássicos que talvez até merecesse transcrição aqui na minha biografia, pois, já que ela se tornou uma grande amiga eu podia dizer que esse dia, aquele ano, foi histórico. Mas, isso, é coisa pra um outro post, talvez o próximo.

E agora me despeço com a clássica sentença:
"Continuo no próximo post."









This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]