Sábado, Janeiro 19, 2008

 

[P#106] ANOS ACADÊMICOS (Parte 27)

|

A famosa lista de discussão do Yahoo-Grupos: "Pitty List"


Não podia terminar de falar de 2003 sem falar de um episódio fatídico que marcou o encerramento do ano. O primeiro barraco que houve na Pitty-List o qual eu participei como protagonista.

Se eu não me engano eu havia saído com a Mili no dia anterior pra gente se conhecer e tomar umas cervejas. No dia seguinte eu aguardava um e-mail dela (não lembro a razão).
Ela nunca mandou o e-mail.

E eu estava aguardando nervosamente por aquele e-mail. Ansiosamente, o dia inteiro na frente do pc esperando o e-mail chegar. Quando ia abrir minha caixa feliz que tinha mensagem nova era sempre mensagem da Pitty-List que eu havia entrado há alguns dias antes pois já havia comprado (meu pai comprou pra mim na verdade) o disco Admirável Chip Novo. Já tinha visto sua apresentação no Bem Brasil também. (o primeiro Bem Brasil da carreira dela).

E mesmo frustrado com as mensagens da Pitty List que chegavam eu lia todas as mensagens, mas teve uma hora que minha paciência se esgotou e acabei sendo grosso com uma das participantes da lista.

Tinha chegado na minha caixa (assim como na caixa de todos que participavam da lista) a seguinte mensagem:


Re: Resumo 307 (Gelo...)

Não.. não...
Ela bebeu sem dar... uahuahuah


(A pior)



como já disse antes, tava angustiado esperando um e-mail que não chegava e me via recebendo mensagens fúteis como essa, acabei pegando pesado e respondi o seguinte:

Re: Resumo 307 (Gelo...)
Vai se foder , estou de saco cheio ja´de receber essas merdas no meu e-mail



Em poucos minutos recebi uma resposta da menina, autora da mensagem:


Re:Resumo 307(Gelo...)
Desculpa, cara...
A intenção era divertir... mas você não deve estar de bom humor hoje...

Prometo me controlar na próxima vez... mas tente se controlar na proxima vez também e ser menos estupido!

"Oh.. comeram minha cabeça de chocolate!!!! Estupida!" (by Tortuguita)

Tá Nervoso? Vá ouvir Pitty!!




Percebi a mancada e ia em seguida pedir desculpas por ela.
Enquanto mandei a mensagem chegou uma outra resposta ,
dessa vez grosseira de uma tal Mari Dylon:


Mari Dylon wrote:
Relaxa Fê!Controlar um caralho! Continue mandando tuas msgs namoral pow! Quem num quiser ver que se foda! Oxi! Alista por acaso é dele? Mande o que vc quiser mesmo e nao liga p/ esses babacas, imbecis que não tem o quefazer!!!!



Antes que eu pudesse acalmar meus nervos, respondi à menina que havia me xingado de babaca o seguinte:

Re: Re: Re: Resumo 307 (Gelo..)

Vai te fuder sua puta , babaca é vc piranhuda !!!!


Pior que é foda, a razão não tava do meu lado, mas hj em dia eu morro de rir com o "piranhuda". Foi totalmente na hora da raiva, ao invés de chamar a menina de vaca ou simplesmente de piranha, saiu "piranhuda". Na sequência, porém, resolvi me desculpar com a tal Fernanda que eu havia "magoado". Entre aspas mesmo porque nesse caso, mágoa de cu é rola:

Re: Re: Re: Resumo 307 (Gelo..)

Não Fe , o problema não é
com vc não , vc tem que escrever o que quiser , é que
eu estava esperando outros tipos de mensagem que não chegaram aqui ,
entende , escreva o que quiser e não tem nada de pedir desculpas , quem tem que pedir desculpas sou eu , afinal o xingamento acabou indo pra todos da lista
Mas ainda não recebi o que estava esperando ,
vcs nãoi tem nada havre com isso ,
foi mal ...

Ricardo



Porém, outros internautas participantes do grupo ainda não haviam lido a lindíssima mensagem do "não quero mais essas merdas no meu e-mail" e tampouco o e-mail do neologismo exótico que eu havia criado na hora pra extravasar contra à Mari Dylon. A maioria deles foi muito intransigente quando percebeu o que eu havia escrito à digníssima colega, vejamos abaixo algumas das coisas que eu tive de ler naquela tarde de Sábado que estava tão monótona até aquele momento:

Re: Resumo 307 (Gelo...)
ae galera q estress EH ESSE??? q horror essa lista eh pra divertir naum pra extressar uai...........vamo para com essa rasgacao ae........vamu ser felizes...........auahauahauahae...........qnd um num q dois num briga c num q le eh so bloquea endereco taum pratico.............pra q expressa sentimento d raiva aximm............como a fe falo a p ta ae.............as musicas dela serve principalmente pra acalmar extressados............vai iskutar um poquim d p ae...........e depois vc fala o resultado
......................ah kta to zunadu viu............so pra d



Confesso que esse final de e-mail da pessoa acima (Luciana Barcellos se não me engano) ta zoado e não da pra entender, mas eu copiei do original no Yahoo Grupos.
(quem quiser ler o original só pra fins de curiosidade: http://br.groups.yahoo.com/group/pitty-list/message/5202 )
Antes que chegasse alguma mensagem pensei em me desculpar também com a Mari Dylon, pois no fundo sabia que o erro era meu de ter sido grosso apesar do conteúdo fútil das mensagens daquele dia, e enviei o seguinte recado:

Re: Re: Re: Resumo 307 (Gelo..)
Foi mal vc aí que eu xinguei (não é a Fe , a outra , agora não lembro o nome)
Mas realmente algumas coisas aqui (não no grupo)
Não estãpo acontecendo !!!
Foi mal , desculpas e foi mal !

Ricardo


No entanto o pior estava por vir.
Acho que durante duas horas recebi e-mails me detonando pela minha atitude. Sério mesmo, alguns ficaram mesmo irritados com o que eu tinha dito achando uma falta de educação tremenda com o grupo, mas pra mim foi só uma válvula de escape, e acabei descontando nas pessoas erradas.
Seguem algumas mensagens:

Re:Re:Re:Resumo 307 (Gelo..)

Caraca que cara estressado!!!!Ae RicardoQuando vc faz seu cadastro no grupo eles te avizam sobreo nº de mensagens e tal.Se você não está gostando basta cancelar cara.Ou então divirta-se com essas pérolas que esse povo tãomaneiro manda pra lista.Eu me divirto muito lendo esses emails. Tem cadafigura...Valeu

JuniorICQ:174568866#pitty #pittyfc (rede: Brasnet)


Vale só fazer uma ressalva nesse e-mail do Júnior pelo seguinte:
Ele dizia que o povo era maneiro. Nem era. Era um bando de fãs BITOLADOS da Pitty que formavam uma panelinha e não aceitavam as opiniões de pessoas que entraram no grupo depois havendo inclusive casos de discriminação e precocnceito com vários bandos que optaram por não fazer parte da panela.
E eram burros tb. Tinha cada mensagem que chegava lá que só por Deus, mesmo!
Tinha gente que fazia perguntas à Pitty (sim ela participa até hoje dessa e de outras listas do YGrupos) de extremo mau-gosto e algumas horríveis a ponto de tu duvidar da inteligência das pessoas e achar que fã é mesmo apenas um diminutivo de "fanático", no sentido mais pejorativo da coisa.
Seguem mais algumas mensagens:

Re: Re: Re: Resumo 307 (Gelo..)

Oxioxioxioxioxioxioxioxi.......
aew maluco, quem vc pensa que eh hein? liberdade de expressao falou? se nao me engano uma das regras dessa lista eh pra nao mandar msgs ofensivas pro pessoal, vc num sabe ler nao eh??? se vc num quer receber essas msgs simplesmente cancela a porra da assinatura e tah resolvido!!!! e tem mais, ninguém xinga minha amiga assim nao falou? mais cuidado com as suas palavras da próxima vez blz? pq qdo vc fala vc nao pode pegar a palavra de volta flw? vai tomar um banho e relaxa...


As mensagens estavam começando a ter conteúdo chulo e palavras de baixo calão, provando mais uma vez que as pessoas não conseguem argumentar com idéias, e sim com a cabeça explodindo de raiva. Isso que eu já havia mandado mensagens pedindo desculpas pela mancada, mas o pessoal optou pela ignorância verbal ao invés de ouvir o que eu tinha a dizer:

Foi mal , peguei pesadão

Oi Luciana
Não ,tem razão ,
Eu babaquei mesmo ... foi mal
Desciulpas ao grupo , afianla foi pra todo miundo isso aí
não repercutiu legal
Babaquiei
Ah sua msg não chegou completa aqui
Ricardo


Eu havia pedido desculpas mais uma vez porque à essa altura minha caixa já devia estar lotada de absurdos de pessoas cegas de raiva porque eu tive um destempero como podia ter acontecido a qualquer um a qualquer hora em qualquer dia ou qualquer ano.

Foi mal 2

Babaquiei , dei uma de otário ,
sei lá não tenho TPM , mas o stress realmente bateu nervoso
aquela hora seii lá , sai de mim ,
a m... é que a mensagem foi pra todos do grupo , po ,
foi mal pisei na bola nervoso
Ricardo


---

Re: Foi mal 2
PÔ QUE ESTRESS É ESSE,NÃO ESTAVA AFIM DE RECEBER E-MAILS NÃO COLOCAVA SEU NOME NA LISTA..............
AGORA MANDAR A GALERA SE F.........NÃO DÁ
NÉ AMIGO


---

luciana barcelos wrote:
aaaeeeeeeeee........eh iss ae mess..............C TA D TPM OU FALTA D NUM SEI UQ...........VAI DESCONTAR EM OUTRO.............NUM VAI FAZE PALHACADA AKI NAUM..........KRA ME DESCULPE A FRANQUEZA MAS C TA AXANU RUIM SAI FORA............OS IMCOMODADUS Q C RETIREM!!!!



Eliane Maia wrote:
ASSIM JÁ ESTÁ VIRANDO ESCULHAMBAÇÃO ,ESSE CARA XINGANDO TODO MUNDO,TÁ DE TPM É?OU É FALTA DE MULHER ,ME DESCULPE A LIBERDADE,MAS VC NÃO TEM O DIREITO DE FICAR XINGANDO O PESSOAL........



Diante de tanta intolerância e intransigência, fui obrigado a mandar apenas um e-mail dizendo o seguinte, visto que pra elas só haviam chegado os e-mails do "vai se fuder" e do "piranhuda":

Re: Re: Re: Resumo 307 (Gelo..)
Leiam meus mails posteriores ...



Mas até o pessoal ler, se é que leriam ou leram, (quero mais que se foda isso agora, ainda mais depois de tanto tempo, mas de qualquer forma...), ainda ficariam me criticando por um bom tempo por besteira, e óbvio que a acéfala da Mari Dylon, leu e interpretou da forma que quis (ou seja, como o CU dela) e transformou meu e-mail numa linha só, no pior estilo 'revista sensacionalista semanal da Editora Abril':

Re: Foi mal 2

Realmente não
dá mesmo ...
mas eu nem queria que a mensagem
fosse pra todos da lista .
reconheçpo que pisei na bola
e fiz muita merda aí , depois do
1 mail , não consegui desestressar
e acabei mandando outro ali pra menina
agora não lembro , nome , uma outra lá que não é a
Fernanda
pisei no tomate
vacilei
foi mal


-----

Re: Foi mal 2

Meu irmão, véi! eu nem queria mais responder essaparada, pois vc nem merece mais.... Na hora tu bota p/foder, depois vem pedir desculpas, aí é fácil d +....."mas eu nem queria que a mensagem fosse pra todos dalista ." Então quer dizer que se fosse só p/ mim naotinha pro, né?!?! Mas vc esqueceu que está numalista........... E numa lista que não merece aquelasparadas todas que vc escreveu e nem as tuasdesculpas.... Vc provou que é muito infantil!!!


Eu acho impossível que de tudo que eu tenha falado no e-mail anterior ela só tenha entendido ou só lido essa parte, se só leu e entendeu só isso, me desculpe mas era débil-mental. As pessoas transformam pequenas coisas em dramas pra poderem ter do que chorar ou reclamar. Se ela tivesse maturidade aceitaria as desculpas e entenderia que foi um momento de estresse da minha parte. Se assim não o fez, a infantilidade vem dela mesma.
Ainda assim respondi essa prova de intolerância com a cabeça fria:

Re: Foi mal 2

Ah meu Deus !
Agora vc inbterpretou errado moça , qdo eu falei "não queria que fosse pra todos da lista" , não é pra se subentender que eu queria que a msnsagem foss esó pra vc não ! Quis dizer , que , ninguém merecia aquelas palavras , eu não estou pedindo desculpa por que é fácil pedir desculpas depois , até poir que não é fácil pedir desculpas , maesmop , quando se está errado (que é o meu caso) , mas se peço desculpa é por que realmente acho que peguei pesado e vcs não tem nada haver com meus problemas e não devia ter descontado em vcs ou em vc , em particular , e na hora que eu escrevi aquilo não estava nem um pouco calmo (mas não é pra vc interpretar o que eu estou dizendo como algo do tipo "eu não sabia o que estava fazendo" , claro que eu sabia , mas errei e feio , e mandei as mensagens com pressa e com a cabeça estorando de raiva por causa do esquema que eu já citei)
Ninguém tem a obrigação de aceitar minhas desculpas , isso que é importante
Mas acho importante me desculpar pelo âmbito que tudo isso tomou e por que ofendi pessoas que nem conheço direito

Ricardo


Puta merda, agora fui ler essa mensagem e percebi que na época eu não sabia realmente o uso dos "porquês".
Até a Pitty se manifestou a respeito do barraco, que sem querer eu havia armado, sem no entanto tomar partido de nenhum lado, isso que foi mais legal, ela podia ter me repreendido e dito pra eu sair do grupo, no entanto o episódio foi superado, mesmo que eu não tenha voltado a falar com algumas pessoas daquela lista como a srta. Mari Dylon, por exemplo.
Segue o mail da Pitty (na cor original que ela postou):

Minhas crianças!!!

Eu volto e encontro esta casa uma zona!!!!
Se continuarem assim vai todo mundo ajoelhar no milho, hein??Ou sentar no canto com o chapeu de burro.
Comportem-se! Respeito!
Ah, bom.

P.



Acho que se eu fuçar no YG da Pitty List encontro mais mensagens sobre o fatídico episódio, no entanto se eu colar mais alguma coisa aqui, arrisca desse ser o maior post do meu blog e eu penso também em quem lê, que às vezes deve sentir um puta cansaço, só termino aqui falando um pouco sobre o que é, de verdade, a Pitty List.

Pitty List é um grupo de discussão sobre a Pitty,
no entanto o que se vê muitas vezes é que vira um grupo só de discussão, onde aqueles que fundaram a comunidade e entraram primeiro tem mais voz e direito que todos os demais fãs, foi acho que, a primeira lista de discussão sobre a Pitty do Yahoo, que surgiu no ano em que ela estourou (essas mensagens postadas acima são de 27 de Dezembro de 2003), e eu participei da lista durante muito tempo , sempre entrando e voltando porque não aguentava o conteúdo de certas mensagens que chegavam mesmo ao ponto de serem rídiculas e fúteis ao extremo com discussões trouxas entre pessoas de mente pequena e coisas afim, só valia pra ter uma informação de quando seria o próximo show ou de um download, além de claro, a chance de conversar com a Pitty por e-mail algumas vezes, muito embora fosse mais proveitoso quando eu conseguia falar com ela em PVT fora da lista e ela me respondia algumas questões.

A lista cresceu muito principalmente entre os anos de 2004 e 2005 quando ela se tornou ainda mais conhecida por causa dos singles que lançava e por causa de seus clipes novos na MTV e sua aparição com certa frequência na mesma emissora. Isso fez com que a lista fosse a maior durante muito tempo com um número bem elevado de membros, e havia uma moderação mas era bem "tanga-frouxa", deixava passar um monte de mensagens estúpidas e sem conteúdos que geravam mais discussões desnecessárias entre pessoas de mente pequena e entre a gurizada em geral porque a maioria que entrava na lista, pelo menos até a época que frequentei regularmente, era menor de 18. Hoje a lista conta com 1.800 e poucos membros, mas creio que a queda brusca se deva ao fato do orkut ter tomado lugar dos fóruns da net como fórum principal trazendo algumas coisinhas a mais (pra mim trouxe muita dor de cabeça pra ser sincero.)

Continuo no próximo post.

 

[P#105] ANOS ACADÊMICOS (Parte XXVI)

|

Sonic TSH, meu hack (incompleto até hoje) do SONIC THE HEDGEHOG

Esqueci de falar que esse ano foi o ano que começei a correr atrás de isotônicos capilares para evitar a calvície, que graças aos meus amigos de faculdade, começei a notar em mim, além das entradas, as falhas de cabelo. Cheguei a encomendar um kit capilar pela internet mas não deu muito resultado.

Começei a ir numa demartologista no centro de manhã com minha avó e ela recomendou o uso de um isotônico chamado Avicis que se usado de forma correta apresenta bom resultados contra à queda capilar. Mas eu não uso da maneira correta. De qualquer forma uso essa fórmula até hoje, porque penso que se eu não tenho mulher com cabelo, imagina se ficar careca? Aí que não tenho mesmo.
Fora a questão de estar bem comigo mesmo. Eu não conseguiria ser feliz se fosse careca.

O Rodrigo começava a demonstrar tb sinais de cansaço e saturamento com relação à faculdade, mas ainda não tinha cogitado em largar o curso porque o processo de trancamento era complicado, tanto que eu mesmo tentei duas vezes antes de largar o curso e não tive sucesso na minha empreitada.

Após descobrir o E.S.E como falei no post anterior começei a criar meu próprio hack que acabei batizando como SONIC - THE SECRET HOUR (mais conhecido como SONIC - TSH)acreditava que dentro de três meses naquelas férias (já estavámos em Dezembro) eu terminaria o jogo. Mas ele foi se arrastando até que eu descontinuei e começei a trabalhar em cima de uma rom americana, (a que eu tava usando era japonesa)e com auxílio de um editor mudei algumas expressões do Sonic parado e um inimigo da primeira fase transformei numa cobrinha preta. Fiz edições gráficas também nos monitores - mas isso anos mais tarde quando eu peguei a ROM americana pra fazer essas modificações.

Quando eu parei de tocar com o pessoal do MAQUINATRAPO, começei a tocar com os amigos de facu na banda que eu havia batizado de 'Poetas Subversivos'. Os Poetas Subversivos não tiveram futuro apesar de a gente ter até montado um Yahoo Grupos em nome da banda. Não deu certo por causa do teor pornográfico das canções que nunca ensaiávamos e também porque não tirávamos as músicas pra tocar nos ensaios, fora que a formação completa só tocou uma vez com o Rodolfo, eu e o Leonardo, antes de entrar o segundo guitarrista com influências metaleiras.

Depois no ensaio seguinte faltou o baixista.
No último , a gente não chamou o Leonardo (não lembro a razão) e não nos reunimos mais pra tocar. O outro guitarrista passou num concurso público numa outra cidade e eu quando ia pra faculdade já estava com a cabeça tão cheia que nem tinha ânimo pra ensaiar.

Continuo no próximo post

Terça-feira, Janeiro 15, 2008

 

[P#104] ANOS ACADÊMICOS (Parte 25)

|

Teckel (Basset Dachshund) pêlo duro

O final daquele ano se aproximava, e no final daquele post, quase acabei esquecendo de citar 3 coisas importantes que não sei se terei tempo pra falar nesse post porque daqui a pouco tenho que sair pra ir trabalhar.

Primeiro, após um ensaio com os Poetas Subversivos incompleto, (o Rodolfo disse que não podia ensaiar naquele dia) eu, Leonardo e mais um guitarrista - esse amigo de Rodolfo - com influências do heavy metal ensaiamos num estúdio e passamos creio que de uma a duas horas lá no estúdio.

Após isso fomos no bar tomar umas. O estúdio foi num lugar longe, um bairro cheio de ladeiras e descidas. Meus avós me deram carona até lá porque eu não sabia como chegar de ônibus.

Após isso, ao chegar em casa, (já era noite) tive uma surpresa:
Meus avós haviam comprado um cachorro (que é muito semelhante a esse da foto). A príncipio era pra eu escolher o nome, e quando finalmente eu escolhi, meu pai tinha já o batizado de Júnior. O nome que eu tinha escolhido era Fifo.

Por um tempo, meio insatisfeito eu chamava ele de Fifo-Júnior, enquanto todos aqui, com exceção de mim, o chamavam de simplesmente, Júnior.

Nesse fim de ano aconteceu algo importante com relação à faculdade e finalmente um projeto do qual eu gostei de participar que estava na programação do professor Indioney Rodrigues. A esse tempo ele já lecionava Composição para nós do segundo ano e eu assistia à essas aulas mesmo tendo reprovado em Treinamento Auditivo II.

A aula de composição era interessante justamente por nos trazer essa liberdade de compor e experimentar novas idéias. O último projeto pra aprovação dessa disciplina foi um projeto em grupo muito interessante o qual falarei abaixo, mas devo antes comentar de uns experimentos que eu fiz compondo.

Ele pediu como tarefa de casa compor um tema e eu não lembro especificamente sobre o que era, mas lembro que certa vez tocando o piano da faculdade eu consegui criar uma cadência melódica com uns acordes e um baixo que continuava sempre o mesmo. Daí, apresentei ao professor, pedi para o Alemão executar a peça no piano da sala enquanto (acho que eu havia xerocado várias cópias) os alunos deviam cantar o baixo daquela linha de piano. Depois o professor veio me perguntar qual tinha sido a minha idéia com aquilo, porque achou minimalista a peça. Daí eu disse que tinha tido a idéia de uma cadência meio triste mas que levasse à uma reflexão. Era óbvio que não era nada disso e eu tinha feito tudo nas coxas, então ele levou a gente uma nova experiência dentro da sala de aula.

Falou pro Alemão tocar aquela partitura 30 vezes e os alunos deviam cantar aquilo 30 vezes, até que o pessoal começasse a entrar num transe e "sentisse um barato diferente". A verdade é que os alunos ficaram exaustos após aquela experiência mas eu gostei muito. Achei enriquecedor. Um dos alunos pediu pra que eu não fizesse mais peças "minimalistas", e o Golemba comentou:

"Mas o Natal é foda também... parece que faz tudo em cima da hora e apresenta tudo pela metade, daí resulta nessas merdas."

Agora falarei da nossa "prova final" em Composição, que na verdade foi um projeto idealizado pelo professor, que misturava teatro e música, inserindo teatro na música e fazendo uma peça musical que tivesse um tipo de interação urbana como acontece com aqueles atores da XV de Novembro que vem mexer com as pessoas do nada. No entanto como se tratava de uma peça musical, cada evento que cada um do grupo realizasse era um movimento da peça. A música de cada grupo deveria ocorrer simultaneamente com a música de outros grupos. Cada grupo deveria ser responsável por escrever uma parte diferente da música e depois que cada integrante fizesse uma parte se montaria a música inteira.

Eu sugeri algumas idéias e todas foram acatadas pelo meu grupo por serem muito boas (desculpem a falta de humildade mas eu tive idéias brilhantes pra apresentar com meu grupo) uma delas foi ficar uma hora embaixo da janela de uma sala que tivesse tendo aula tocando violão desafinado. No dia então, eu desafinei ao máximo meu violão, cada corda em uma afinação não compatível com a corda de baixo, o que não era difícil porque o violão que eu tinha na época já estava bastante capenga. Outra das idéias de minha parte foi reunir pessoas no corredor onde todos passavam e ficar discutindo coisas sem sentido do tipo: "meu pai cagou ao vento" enquanto outra respondia "realmente, nunca sonhei em fazer balé", e tantas pessoas falando ao mesmo tempo que aquilo ficava uma babel e ninguém mais se entendia. Muito bom. Lembro que nesse dia o professor filmou todas as nossas interações.

Cada grupo tinha uma função diferente e a gente fazia um rodízio, pegava a partitura pra ver o que o outro grupo estava executando e mudava as ações. Então começei a praticar a ação de outro grupo que consistia em ficar no chão, próximo à secretária durante meia hora lendo posições sexuais de revistas especializadas que ensinavam como penetrar a parceira e coisas relacionadas. As outras turmas que passavam do nosso lado não entendiam nada, algumas pessoas riam, outras tentavam sem sucesso, interagir com a gente.

Outro grupo teve uma proposta de formar uma fila no corredor do campus e sempre que alguem passasse, aluno ou professor, todos batiam uma palma simultânea ou davam um pulinho (como faz um certo tempo isso eu já não lembro direito), a Charlene veio me perguntar o que era aquilo enquanto eu tava na fila musical desse grupo e eu não podia revelar porque tava combinado de ninguém falar nada. Depois mandei um e-mail pra ela contando.

O grupo do Rodrigo tinha em determinado ponto da partitura que ficar parado na porta do banheiro e dizer "bom dia" quando alguém saía. Se ouvisse que não deram descarga dizia "boa noite". Essas emoções só mesmo o nosso professor Indioney Rodrigues pôde nos proporcionar. Eu gostava disso. Até que enfim a faculdade tinha uma aula da qual eu gostasse e pudesse crescer, mostrar a criatividade, me libertar dos medos.

Nesse mesmo dia a Sara deu em cima do Rodrigo, intimando ele pra "ir no banheiro" e ele fingiu que não percebeu, apenas respondeu:
"Como você está espertinha hoje"
no que ela retrucou:
"Pô! Como assim? Quer dizer que nos outros dias eu sou burrinha?"
Eu fiquei meio de cara com esse tipo de situação mas segurei a onda. Ficava de cara porque em mim mulher nenhuma dava em cima enquanto que o Rodrigo, até mesmo na rua umas meninas mais novas davam em cima e eu só me fodia como me fodo até hoje e tal.

Finalmente,
além de tudo, nos meses finais daquele ano eu conheci o maravilhoso mundo da emulação. Principalmente o dos videogames mais antigos da Sega como Master System e Mega Drive.
E isso é muito importante porque eu aprendi também como emular o Sega-CD. A importância disso é que a partir desse aprendizado eu começei a emular o jogo do Sonic CD o que até então pra mim era um feito inédito pois foi um jogo que eu sempre quis ter, no entanto, como nunca tive Sega Cd nunca o havia jogado.

No mesmo site em que peguei dicas de emulação de Sega Cd, foi o site que vi pela primeira vez HACKS dos jogos antigos do Sonic pra Mega Drive. Fiquei maravilhado com aquilo e por Dezembro consegui uma ferramenta chamada Esrael Sonic Editor (E.S.E) no qual começei a trabalhar no meu próprio hack do Sonic (e até hoje não consegui concluir) chamado Sonic TSH, o TSH é sigla de 'The Secret Hour'.
As mudanças que eu fiz nesse hack podem ser conferidas em www.freewebs.com/guitardo (site que eu inaugurei em 2004).

Continuo no próximo post.

Domingo, Janeiro 13, 2008

 

[P#103] Anos Acadêmicos (Parte XXIV)

|

Dhomini, campeão do BBB3. Seu carisma e simpatia lhe renderam o prêmio de r$500.000

Ah sim, eu havia esquecido de falar nos posts anteriores: esse foi o último ano que consegui acompanhar um Big Brother inteiro do começo ao fim. Chegaria a assistir o BBB4 tb,mas não o acompanharia com tanto afinco como ocorreu com o 3 e o 2. Em parte isso se deveu ao fato de em 2004 eu já ter internet compartilhada no meu quarto.

Enfim, fui no começo me acostumando e tentando identificar quem era cada participante do programa. A princípio eu achava que era um programa interessante porque fugia do que a programação comum de todos os canais de TV mostravam sempre: jornais, telejonelas, filmes , programas de auditório , etc,etc. O Big Brother trazia o conceito de reality-show para o Brasil. Conceito esse que os países europeus já haviam aprovado anos antes.

Desde o começo eu percebi que o grande manipulador do jogo era o Jean Massumi, o duas caras era o Harry (pelo menos a edição da Globo o fez parecer assim) e o carismático era o Dhomini que enfrentou um total de 5 paredões e saiu invicto porque o povo já não estava satisfeito com as armações dos outros participantes, que tentavam a todo custo eliminá-lo na casa. No final todos se foderam, menos o grande campeão óbvio. E foi nítida que dessa vez não foi uma manipulação global e sim a vontade do povo que prevaleceu.

A verdade é que não só nesse, mas em todos os Big Brothers os participantes não ficam mesmo marcados pelo que realmente são e sim pelo que a EDIÇÃO MANIPULADORA DA GLOBO faz parecer que eles são. Não mostra a realidade sobre ninguém. Aliás Big Brother o que menos tem é realidade, o nome está errado seria muito mais um fictional show ou um simulation show do que um reality show.No entanto, alguns barracos que a emissora não edita são muito mais interessantes que enredos medíocres de algumas novelas das seis que fazem parte da cultura de alienação em massa.

Bom, o que importa é que eu assisti a esse BBB até o fim muito satisfeito com o resultado, porque enfim em um BBB ganhou alguem pra quem eu tava torcendo, quanto todos os outros sem exceção só ganharam escroques, babacas em geral e manipuladores, que óbvio, tiveram apoio da Globo para chegar até o fim.

Enfim, os melhores momentos desse programa eu tenho gravado num VHS até hoje. Um dia eu despejo a fita inteira e divido por partes no You Tube com o título de 'Melhores Momentos do BBB3'.Mas preciso ter antes, uma placa de captura de vídeo pra poder realizar essa empreitada.

Esse ano foi com certeza o que o Rodrigo mais veio aqui em casa pra pousar. A gente vinha aqui sempre tentar realizar os trabalhos xaropes da faculdade com exceção do trabalho de Gestão e Organização da Escola que eu não estava no mesmo grupo que o dele. Mas os da Bernadete realizamos , a maioria, em nossa casa. Inclusive na época em que eu havia dado os pontos na cabeça, ensaiava um retorno também com os caras do Maquinatrapo, mas esse projeto não chegou a decolar.

Então, montei juntamente com alguns calouros com quem havia feito amizade a banda 'Poetas Subversivos', eu na guitarra e voz, o Leonardo na bateria e esqueci o nome do guri que seria o baixista.
Ah, lembrei!
Chamava-se Rodolfo. No dia em que nós 3 ensaiamos ele tirou as músicas numa revista de cifras porque não havia tirado a música em casa antes.

Eu tb não havia tirado Olhar 43 do RPM, mas acho que já contei sobre esse episódio em outro post.

Eu continuava maravilhado com o som da Pitty, daí resolvi correr atrás do som dela e o Auro vivia me tirando um sarro, porque até então, por mais conhecida que a Pitty fosse algumas pessoas ainda não conheciam o seu som. Um colega veio a perguntar:
"Quem é Pitty?"
daí ele respondeu ironicamente:
"É aquela que canta bizarro, bizarro, bizarro."
Óbvio que achei uma babaquice sem tamanho tirar sarro de alguém com argumentação tão pobre e pejorativa, mas fiquei na minha. Ano seguinte o Auro ainda aprontaria das suas num grupo de guitarristas que eu moderava na net àquela época.

Bom, sei que estou em um dos últimos posts sobre esse ano.
Só espero lembrar de coisas relevantes o suficiente para poder terminar logo e começar a falar sobre 2004, ano em que as coisas realmente mudaram pra mim (pra melhor) e ano que eu realizei muitas coisas.

Continuo no próximo post.

Segunda-feira, Janeiro 07, 2008

 

[P#102] ANOS ACADÊMICOS (Parte 23)

|

Minatory - a banda.Não vou dizer quem é cada um porque só lembro que o baterista era o Rodrigo e o vocalista tinha o apelido de Pena, e que, eram 2 guitarristas

Como já dizia em posts passados, essa época eu ainda usava ICQ e não havia nenhum fórum global, como o orkut onde as pessoas perdiam horas e horas postando e visitando perfis, criando fakes e se entretendo dessa forma, eu estava inscrito em vários fóruns do Yahoo Grupos, entre eles o 'Guitarristas-Femininas' da Aya, onde , na época, as postagens eram frequentes.

Depois que o orkut surgiu, a maioria dos YGrupos dos quais participo, e, inclusivo o Guitar Palace que modero, caíram quase em desuso porque a maioria dos usuários prefere criar comunidades no orkut do que postar em fóruns específicos sobre determinados temas.

Mas sobre o orkut falarei mais além, quando estiver falando a respeito do ano de 2004.
No grupo Guitarrista Femininas conheci a Mili e a Alline, como já falei numa postagem anterior. A Mili tocava numa banda chamada Minatory.
Inclusive, depois de conhecê-la pessoalmente, eu vi a banda dela tocando umas duas vezes (isso em 2003). Vi tocando em outras vezes no decorrer de 2004 e cheguei inclusive a ver o último show em Maio de 2005.

A gente não trocou msn logo de cara porque na época eu ainda não usava msn. E também porque trocávamos e-mails nos grupos de discussão e privados, pra falar acerca de alguns temas, geralmente música e guitarras em geral. Naquela época (e tenho que criar depois um post pra falar sobre isso) meu pai tava me pressionando pra que eu arranjasse um emprego, ou entrasse logo numa banda e começasse a ganhar dinheiro com essa atividade. Então a príncipio eu voltei a tocar com o pessoal do Maquinatrapo, mas, não lembro o que aconteceu depois eu tive que parar de tocar com eles.Acho que foi um desencontro um dia em que cheguei atrasado e não aguentei ter que esperar o Guilherme voltar, voltei sozinho pra casa e nunca mais eles ligaram nem marcaram nada comigo, daí achei que não me quisessem mais na banda.

Enfim, daí no meio dessa confusão e mais o fato de eu estar fazendo na faculdade algumas disciplinas nas quais havia reprovado no ano anterior, fundei lá com dois calouros, o Leonardo, baterista e um outro amigo que tocava baixo e cujo nome eu nem lembro mais, um grupo que batizei de Poetas Subversivos. O foda era que a gente nunca se reunia pra compor letras decentes, que, significassem alguma coisa. A gente compos uma letra uma vez cuja rima era:

E vamos tacar a Bíblia na fogueira
Enquanto metemos à noite inteira


Eram páginas e páginas de bobagens que nunca chegamos a musicar (ainda bem), e mais
umas letras que o Leonardo vinha a me mostrar nos corredores do campus novas letras nas quais ele estava trabalhando, e uma vez abri uma pasta e ele me mostrou um verso que era mais ou menos assim:

Lembra dos pecados da maçã;
onde você era a Jane e eu o Tarzã...


Umas rimas horríveis, que, nunca tocamos... eu tinha alguns riffs guitarrísticos que não usava pra nada, e nem mesmo havia usado como material denominado Gosma Metálica, e cheguei à mostrar a ele, daí, um dia, ensaíamos nós três, eu , ele e o baixista, mas pra foder de vez, a gente não tinha tirado a maioria das músicas que era pra gente ter tirado, como por ex: 'Olhar 43' do RPM. Eu nunca curti RPM e ainda só tirei a introdução da música e vi o baixista tocando ela seguindo uma revistinha de cifras porque ele também não tinha tirado a música.

E foi nesse contexto tb que conheci a Mili, que estava em dificuldades com a banda dela na época. Não lembro que dificuldade que era, se eram ensaios ou desentendimento com os outros integrantes. O que lembro é que por meio virtual cheguei a convidar ela a ingressar na banda e ela até acenou positivamente, mas disse que não curtia aquela onda de falar mal da Igreja nas músicas e as letras pornográficas. Sim, esqueci de citar, o Leonardo só sabia compor pornografia. E ainda, quando eu estava bêbado, entrava na pira e só saia letra ruim.

A Mili e eu já haviámos tentado nos encontrar algumas vezes, mas sempre dava algum problema. Uma vez ela estava numa chácara e meu pai não deixou eu ir encontrar pra conhecê-la pessoalmente porque o lugar ficava muito longe. Numa outra a gente marcou de tomar umas beras num bar, mas não deu certo por causa da gasolina do carro dela. Depois, finalmente um dia, a gente conseguiu marcar no Jethro lá por umas seis e pouco depois das minhas aulas na UFPR. Jethro era um bar de rock que tinha aqui em Curitiba há alguns anos, mas, como alguns milhares de outros daqui, ele faliu.

A Mili atrasou uns 15 minutos e, achei que ficou meio feio pra mim, porque, pouco antes dela chegar, passou um amigo da faculdade perguntando o que eu tava fazendo sentado na frente do bar, e eu falei que tinha marcado um encontro. Depois ele se foi. Daí, logo em seguida a Mili chegou , e, com certeza, viu que eu não tinha aguentado e tinha sentado pra esperar. Mas minha intenção não era que ela me visse sentado esperando ela chegar justamente pra não causar uma má impressão. Mas aconteceu, fazer o que? [:p] A Mili chegou de óculos, e estava um pouco diferente das fotos que eu havia visto na net onde aparecia sempre em ação tocando com os rapazes do Minatory. Eu reconheci alguns traços e perguntei:

- Mili? - a gente nunca tinha se visto pessoalmente antes.

Ela respondeu:

- Sim.

Depois, entramos e tomamos algumas, e enquanto bebíamos, veio um cara de uma banda lá 'Mental Pride', vender uma demo de sua banda. Eu acabei comprando, mas confesso que ouvi poucas vezes essa demo.Falamos de diversas coisas no bar, principalmente do grupo e de como a Aya devia ser uma excelente guitarrista. Eu não tenho certeza, porque já fazem 5 anos que esse fato se passou, mas, acho que tomamos 6 cervejas nesse dia.

Continuo no próximo post.

Quinta-feira, Janeiro 03, 2008

 

[P#101] ANOS ACADÊMICOS (Parte XXII)

|


Eu, em Dezembro de 2003,posando com a Shelter Les Paul

Eu falei no post#99 da guitarra que eu havia comprado no meu aniversário com dinheiro que meu pai havia me dado, mas não cheguei a falar que esse ano eu havia comprado 2 guitarras. Primeiro a Michael (aquela verde da foto), que foi uma grande roubada,mas que só depois eu descobriria, e depois a guitarra que sempre foi a guitarra dos meus sonhos desde a época que eu começei a tocar: a Les Paul. Óbvio que não comprei uma Gibson, mas comprei uma marca nova, que começava a emergir no mercado: a Shelter.

Por pouco não fiz merda e quase comprei uma Golden Les Paul modelo custom. Sorte minha que essa época eu já tinha conhecimento necessário pra saber que as Golden são um monte de lixo. Essa guitarra, foi a primeira que eu consegui comprar com meu esforço próprio. Eu vendi um violão folk que havia comprado em 2001 pra um amigo (o Andrey) e com isso consegui 300 reais. (a guitarra tava custando mais ou menos uns 850 reais na época)Depois vendi meu PS1 para o Rodrigo Anacleto e um amigo dele por 150.

Com isso eu tinha 450 reais pra dar de entrada no instrumento.
O resto tive que apelar à minha mãe, que no começo foi meio a contragosto comigo na loja e ficou muito fudida da cara quando viu os juros embutidos na prestação e perguntou se eu tinha que comprar aquele instrumento aquele dia mesmo. Eu disse que óbvio que sim, porque sabia que senão comprasse aquele dia, não compraria nunca. Foi uma guitarra que me fez muito feliz até, até meados de 2006, quando algumas peças dela começaram a enferrujar e outras estragarem, em parte pelo mal uso que fiz dela nessa época.

Essa época eu e o Rodrigo já estávamos de saco cheio da faculdade, e, o Júlio havia já largado o curso e voltado à terra natal, pedindo à Débora que trancasse a faculdade pra ele. Ela quebrou o galho se não me engano, mas não tenho certeza tb se ela conseguiu.

Teve mais uma festa 'clássica' na "casinha do seu Pedro" onde, vinho de décima oitava qualidade comprada pelos calouros de música, fizeram eu e o Rodrigo termos uma caganeira insana. Eu fiquei com muita cólica e diarréia por pelo menos uns 3 dias. A pipoca da festa tb era uma merda, o que contribuiu pra que eu continuasse passando mal à vera.

Mais ou menos por essa época eu montei o primeiro BLOGSPOT da minha vida. O 'www.ricardobrinodetona.blogspot.com' (já deletei há anos) no qual eu contei essa aventura e acabei desistindo de postar lá porque pra fazer upload de fotos aquela época tu tinha que usar algum lugar que hospedasse fotos como mirror. Uma que eu não tinha o macete de usar algum blog como mirror, e outra que era muito trampo pra eu tentar, acabei desistindo.

Nessa época, tentei vários sites de hospedagem de blog e ficava que nem macaco pulando de galho em galho, a coisa só foi estabilizar lá pelo fim do ano em Novembro ou Dezembro quando eu entrei no blog da Globo, o blogger.com, e lá permitia que se fizesse upload de fotos sem nenhum esforço. Como, por natureza , sou adepto da lei do menor esforço, óbvio que começei a postar nesse blog - ele continua no ar até hoje é o Vida de Guitarrista.

Essa época aí foi a época da introdução à internet no meu quarto, uma vez, que antes, eu não tinha computador no meu próprio quarto como já mencionei em uma postagem anterior à essa.Então tava descobrindo tudo. Ainda não usava o msn e nem era, pelo menos àquela época, um programa tão popular assim. Começei com o bom e velho ICQ a manter contato com a menina do RJ que eu havia conhecido no chat da Globo.

Entrava em vários chats, e nem sei porque eu entrava, já que nessa época já achava tudo uma merda. Entrava em outros chats, um aqui de Curitiba mesmo, cujo o endereço eu não lembro, mas é o endereço que tem logo que tu acessa um desses computadores do Farol do Saber ou em uma das 'Ruas da Cidadania'. Acessava bastante chats essa época até isso se tornar obsoleto e eu começar a fletar com os grupos de e-mail do Yahoo, entre eles o grupo Guitarristas Feminina, no qual conheci pessoas de várias partes do Brasil, inclusive aqui de Curitiba, como a Mili e de Recife, como a Alline. Pessoas de quem devo falar melhor nos próximos posts.

Continuo no próximo post.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]