Domingo, Maio 08, 2005

 

[P#7] 1985-1990 (Parte 3)

|

Rio de Janeiro, 1987, nessa foto eu tinha 4 anos, no alto do Cristo Redentor

Vocês já viram um catálogo de filmes , como é organizado ?
Meu pai tinha um catálogo de filmes, no tempo que colecionava fitas VHS
e era assim : nome da obra, quem dirigiu, o nome da distribuidora, ano de lançamento,
tempo de duração da película, etc, etc.

Então, mal comparando é dessa forma que pretendo escrever a parte biográfica desse blog, óbvio que a estrutura de um texto que conta uma história, mesmo quando essa é verídica, é totalmente diferente de um catalogo sobre determinado item, pois o que conta aqui é sobre o que eu falo e a forma como abordo os assuntos, porém ao invés de fazer uma mistura entre os temas , eu optei em falar da relação de minha mãe comigo e da árdua convivência entre ela e meus avós , de todo o ladro podre dessa história, e agora "catalogar" se assim é possível dizer , e "registrar" o lado bom do que me ocorreu nesse período. No entanto , são muitas as lembranças e talvez
eu precise de um post ou dois, (além desse) para poder concluir esse período da minha história.

No Rio de Janeiro , a gente morou num edíficio que ficava na Estrada do Gabinal
no bairro de Jacarépágua, não lembro o nome do edíficio , apenas lembro que tinha 15 andares . Morávamos no 3°andar. O apartamento era grande, tinha varanda, salão de festas , churrasqueira , quadra de futebol, piscinas pra adultos e crianças. Um playground razoavelmente grande . Talvez, a dimensão do lugar todo nem fosse tão grande, mas como eu era pequeno , pode ser que as coisas pareciam maiores.

Eu tive uma infância muito rica, por isso é díficil lembrar de tudo, sem deixar passar nenhum detalhe . Eu gostava de muitas coisas , de desenhar , adorava ônibus
e meu sonho era, quando crescesse ser motorista de ônibus (hahah...) , mas conforme fui crescendo os sonhos foram mudando e minha vida tbm. Mas de fato, o que eu pedia com frequência no Natal, ou sei lá nas ocasiões que sabia que podia ganhar um presente era , ônibus de brinquedo, aliás sempre gostei de brincar muito mais de ônibus do que de carrinho . Hj em dia eu brinco de outras coisas, mas essa é uma outra história que conto beeeeeeeeeeeeeeem depois. Eu tinha uma porção de brinquedos,
eu tinha um Fofão , (fofão era um boneco de cara feia e macacão que tinha um programa de tv) , um Mc Donalds de brinquedo uma porrada de carrinho de fricção,
que eram réplicas de marcas como Mercedes Benz , etc, etc.... Com a fricção tu puxa o carrinho pra trás e ele adquire uma velocidade grande e dispara. Tinha diversos brinquedos. Eu gostava de Lego tbm . Tinha várias caixas da Lego com vários temas , mas geralmente montava os brinquedos com a ajuda de meu pai.

Nessa época eu tinha um atari, mas não lembro quando meu pai comprou e nem tenho a lembrança dele trazendo o atari pra dentro de casa , me diverti com vários clássicos como Enduro, Frogg, Hero - esse é muito bom... tu vai descendo por várias telas soltando bombas diversas e quando chega no subterrâneo oferece água para um cara que tá la te esperando e passa de fase, Pac Man, River Raid , entre outros que não vou lembrar, mas as partidas de Enduro eram clássicas. Não tem como esquecer o atari, até hj eu lembro de como fazia pra deixar a tela em preto e branco, hauaahauaha, desligar o videogame , etc, e não tem como esquecer aquele controle do Atari com formato um tanto quanto pornô e seu botão vermelho inesquecível (putz quanta viadagem numa frase só) realmente é um videogame que se eu nunca mais tivesse visto com certeza não teria me esquecido dele.

O Atari só começou a perder espaço, la em casa quando meu pai comprou um Hotbit da Gradiente, Hotbit é um computador da linha de computadores da MicroSoft eXtended, mais conhecida como MSX. E os gráficos do msx eram superiores aos do jogos de Atari, apesar do Atari, ser assim como o msx uma plataforma de 8 bits. Porém os jogos produzidos pela Activison e Atari pra MSX possuíam gráficos do mesmo nível que o seu console conseguia reproduzir. O MSX era um computador que se ligava diretamente na tv , não necessitando assim de monitores , e pra falar a verdade, nos anos 80 o computador era uma febre no Brasil desbancando outras linhas concorrentes como o ZX-Spectrum e o Amstrad CPC por ex. O custo benefício era viável. Lembro que quando meu pai comprou esse computador ele veio numa caixa . Não tinha drive de disquetes, os jogos eram em fita k7 e demoravam entre 2 á 5 minutos pra carregar , dependendo , se o jogo fosse muito pesado demorava mais, se fosse um jogo mais leve demorava menos e assim ia. Hj em dia chega a ser cômico ver que esses jogos não pesam nem 1 mb, quando muito 200 kb . O que é a evolução hein ? Hj em dia não tenho mais msx , mas tenho o emulador e os melhores jogos salvos num CD-R.

Eu estou citando o Atari e o Msx por que eles me proporcionaram muitas alegrias na minha infância e foram passatempos maravilhosos. Muitos momentos realmente felizes com essas máquinas. O MSX funcionava assim, vc abria ele , e , ele abria numa tela onde estava pronto para se programar em BASIC - Que é uma linguagem que funciona através do uso de palavras de gírias inglesas, e os programas eram em linhas, cada linha ordenava uma ou mais funções desde que se colocasse entre os comandos respectivos dois pontos . Os programas que criava variavam muito de utilidade, podia se programar desde jogos , programando-se sprites, rotinas e loops, movimentos do cursor ou joystick, até programas com funções variadas como jogos de perguntas e respostas, utilitários , banco de dados , e uma porrada de funções que variavam conforme o seu entendimento da programação basic, vou dar um exemplo rápido pra entederem o procedimento, eis o programa que criei agora , nessa hora especialmente para esse post :

10 CLS : COLOR 15,1
20 PRINT "Salve o Corinthians , o campeão dos Campeões"
30 GOTO 20

O que faz esse programa ?
Bem analisando as linhas
pela linha 10 eu peço através da sigla CLS (de CLear Screen) para limpar a tela na hora da execução do programa (ou seja apagar o que tivesse escrito antes)
com a função color eu peço pra mudar a cor da tela , geralmente o Basic vinha em uma tela azul com letras brancas, então um número é responsável por mudar a cor da tela e o outro é responsável pra mudar a cor da letra.
Prosseguindo na linha 20 do programa eu peço para que imprima o texto que está entre aspas .
em 30 eu crio uma rotina para que o programa volte para linha 20.
Então o que acontece ? Como o MSX lê o programa por linhas ele vai ficar mostrando
na tela a frase que escrevi infinitamente ou até que eu peça pro programa ser parado através de um atalho no teclado . Ou seja ele leu a linha 10, 20 e 30 quando chega no 30 por causa do GO TO (Vá para ) ele vai ler a 20 e 30 , 20 e 30 , 20 e 30 e assim fica aparecendo a msg na tela até a hora que alguem peça pro programa parar usando o atalho no teclado, ou se alguém desligasse o computador, (ou se alguem fechar o emulador). Pra rodar o programa depois de terminado eu uso mais um comando da língua inglesa chamado RUN
Acho que em parte , eu disse EM PARTE , devo um pouco do meu conhecimento de vocábulário em inglês pelos anos que programei em BASIC .
Esse comando tbm servia para carregar jogos na fita cassete do gravador (data recorder) só que cada jogo tinha uma extensão diferente , que vinha com as instruções de carregamento no manual que acompanhava a fita geralmente. As variações eram muitas agora lembro me somente de 3. Cas, de cassete, Bin , de binário , e BAS que não faço idéia do que seja , mas creio que seja de BASIC . Mas não afirmo isso com 100 por cento de total certeza não.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Assinar Postagens [Atom]